Uma das primeiras coisas que aprendemos na vida e com ela é que ela mesma possui seus ciclos: nascemos, crescemos, envelhecemos e morremos.

Por definição,”envelhecimento é a somatória de todos os processos (alterações e adaptações) que ocorrem com o passar dos anos no organismo”.

Ao longo do tempo como isso ocorre sempre variou de lugar e classe social, e apesar desses fatores continuarem a ter relevância, os avanços na área da saúde e da tecnologia vêm esticando o penúltimo ciclo, a famosa “terceira idade”, como nunca antes na história humana.

No entanto, a idéia de que esse ciclo estendido venha acompanhado de qualidade de vida é relativamente recente. E nisso, a atividade física é condição essencial para tal.

É consenso na literatura que há uma relação muito forte entre envelhecimento, estilo de vida e saúde, e que a prática regular de exercícios físicos assume papel de destaque nessa relação.

Biológicamente falando, o envelhecimento nada mais é do que um processo fisiológico a qual todos passaremos e que vem acompanhado de mudanças em nossa composição corporal.

Podemos destacar estudos que observaram uma complexa remodelagem no nosso sistema imunitário, cujas alterações estão associadas a doenças e que também demonstram que a prática regular de exercícios físicos tem sido proposta como intervenção não- medicamentosa com amplos benefícios sobre a regulação de processos decorrentes da imunossenescência (deterioração natural do sistema imunológico produzido pelo envelhecimento).

Sarcopenia, perda de massa muscular que tem início diminutivo por volta dos 30 anos é uma síndrome de fragilidade definida como “um declínio gradual de massa corporal, força muscular, reduzida disposição física, perda de autonomia”. Seus mecanismos ainda não são muito claros mas a causa parece ser multifatorial e reflete desequilíbrio metabólico.

Resultados de estudos revisados evidenciam que progressivos e elevados níveis de citocinas pró-inflamatórias basais contribuem negativamente para o desencadeamento ou potencialização de doenças crônicas incluída a sarcopenia.

Nesse sentido como um todo a própria estrutura corporal se modifica, produzindo também compreensão nas vértebras e mudanças nos discos intervertebrais diminuindo os espaços entre elas.

Vários tipos de exercícios podem ser indicados e se realizados com regularidade atuam para o fortalecimento da estrutura músculo- esquelética.

Uma modalidade que pode ser adaptada de todas as variações de atividades existentes é o Pilates, especialmente por ter um conjunto de movimentos que combinam exercícios de força e resistencia muscular junto com o trabalho de equilíbrio, coordenação motora, destreza e agilidade.

Deixe um comentário