Conhecendo e fortalecendo seu assoalho pélvico

Conhecendo e fortalecendo seu assoalho pélvico


Ninguém tem dúvidas da importância dos exercícios físicos para o próprio bem-estar.
O fortalecimento dos músculos é fundamental para a funcionalidade do organismo, o condicionamento aeróbico, a proteção dos ossos e das articulações e a melhora do metabolismo. Além de que, claro, bíceps, tríceps, quadríceps e glúteos tonificados também melhoram a autoestima frente ao espelho.

O que muita gente não sabe é que o corpo humano tem grupos musculares mais profundos, que nem sempre podem ser exibidos — mas que, igualmente, devem ser trabalhados. O assoalho pélvico é uma dessas musculaturas (MAP) que precisam ser exercitadas para não perder a força. Afinal, ela é responsável pela sustentação de vários órgãos, pela continência urinária e fecal, e ainda contribui para a qualidade nas relações sexuais — motivos de sobra para botar essa região para trabalhar, não?

 


Nossa palestra reúne fisioterapia, neuropsicologia e terapia corporal – somando suas ciências e experiências – para uma imersão neste eixo temático acerca do assoalho pélvico. Partindo da proposta Quanta de medicina integrada, valorizamos o autoconhecimento como ferramenta de em tratamentos físicos e, principalmente, como chave para a prevenção de doenças. Considerando a importância dessa musculatura para nossa qualidade de vida (devido a sua relação com sistemas urinário e fecal, por exemplo), conhecê-la e fortalecê-la se torna imprescindível.

Sendo também uma plena sexualidade fundamental para nosso bem estar, se faz essencial investir em práticas que prolonguem sua vivência no futuro e intensifiquem sua qualidade já no presente.

Trazendo conhecimento teórico para o entendimento dessas relações físicas, exercícios que promovam a consciência corporal quanto a este nosso conjunto muscular, apontamentos sobre processos neurológicos de nossos estímulos e prazer sexual e, ainda, com a recomendação do uso de acessórios para a estimulação dessa musculatura e intensificação do prazer em práticas sexuais, convidamos mulheres e homens de todas as idades (à partir de 18 anos) para nossa palestra.

 


Além da incontinência urinária, fecal e de gases, o enfraquecimento do assoalho pélvico está também ligado à ejaculação precoce nos homens e, nas mulheres, à impossibilidade ou dificuldade de se atingir o orgasmo e a dores na relação sexual. Em casos mais graves, por lesão ou fraqueza, essa musculatura pode se tornar incapaz de segurar órgãos, que descem de suas posições, originando o prolapso genital (útero caído ou bexiga caída).

Com o neo-pompoarismo – treinamento desse conjunto muscular com bases cientificas – conquistamos melhora da satisfação sexual tanto para o/a parceiro/a, como para quem pratica os exercícios além do fortalecimento dos MAP, melhora da sensibilidade, lubrificação e orgasmo. Especialmente em homens, contribui para mais intensas e duradouras ereções enquanto ainda combatem casos de ejaculação precoce.

Com os acessórios sexuais recomendados e apresentados, além dos exercícios, uma diversidade de práticas sexuais já se amplia trazendo novas sensações, prazeres e estímulos para seu comportamento sexual.

 


Nos homens, o enfraquecimento dessa estrutura está geralmente associado a cirurgias urológicas (como em casos de câncer de próstata). Já nas mulheres, esse assoalho tem um orifício a mais, o canal vaginal, que o torna mais frágil. Além disso, fatores como gestação, menopausa (em função da redução do estrogênio) e características hereditárias propiciam a disfunção do grupo muscular.

Cerca de 20% das mulheres, considerando todas as idades, sofrem de algum problema decorrente do enfraquecimento do assoalho pélvico. O quadro bem comum, começa principalmente a partir dos 30 anos. Na população feminina acima de 80 anos, quase a totalidade convive com a incontinência urinária.

A impossibilidade de segurar o xixi ao espirrar, tossir ou rir é uma das principais indicações de que a musculatura da região está sem força e não consegue mais sustentar a uretra. Não é um sintoma que, necessariamente, oferece um risco maior à saúde da mulher — mas reduz a qualidade de vida, trazendo um grande prejuízo social.

Dificuldade de segurar o xixi não é normal nem na velhice e com nossa palestra você vai aprender como se previnir desta e de outras disfunções.

 


Faça agora mesmo sua inscrição.

Diretamente via PagSeguro Uol!




Basta concluir o pagamento do valor de R$ 65,00, à vista ou em 30 dias nos cartões de crédito, que entraremos em contato com você via email para confirmar sua participação.

Faltam poucos dias e as vagas são limitadíssimas!

 



 


Emily Polessi é fisioterapeuta formada pela PUC-Campinas, especialista em uro-ginecologia pela Escola Paulista de Medicina – Unifesp/SP e atua a mais de uma década no tratamento e prevenção das disfunções do assoalho pélvico em mulheres, homens e crianças. Decorrentes de incontinências urinárias/ fecais, bexiga hiperativa, distopias e disfunções sexuais.
Atua também com gestantes na prevenção e preparação do assoalho pélvico para o parto.
Preconiza um trabalho individualizado para cada paciente com avaliação e tratamentos personalizados.

Edna Kawakami é neuropsicóloga e reúne uma experiência clínica e terapêutica de mais de duas décadas – marcada pelo trabalho junto a pacientes de Unidades e Centros de Tratamentos Intensivos em São Paulo (UniCor, HCFM USP e Sírio Libanês). Hoje soma suas specializações a um conjunto de saberes em áreas complementares à neuroterapia para potencializar o desenvolvimento pessoal e profissional de seus pacientes.

Raquel Pallares é terapeuta corporal, acupunturista e educadora do movimento somático formada pela Body Mind Centering School – Alemanha. É também bacharel em artes do corpo pela PUC-SP. Há 7 anos trabalha com comunidades e escolas nos Estados Unidos e na Europa abordando temas como consciência e movimento do corpo e da mente, promoção da saúde, desenvolvimento individual e em grupo.

 


Palestra
Conhecendo e Fortalecendo seu Assoalho Pélvico
{autoconhecimento, saúde e prazer}

23 de Setembro, Sábado, das 9h às 12h30
Rua Patizal, 79 | Vila Madalena | São Paulo, SP

Realização | Clínica Quanta
Desenvolvimento e apresentação | Edna Kawakami, Emily Polessi e Raquel Pallares
Comunicação e Identidade Visual | Gueko Hiller
colagens | Bedelgeuse

 


Edna Kawakami Desenvolvimento
[email protected]
(11) 3214 2151 ✆ 999 017 791

Clínica Quanta | São Paulo
[email protected]
(11) 3214 0319